Psicose zenital

galaxia12[fc4]

Autor: Walt G. Dovan [Peter Kapra] (Pedro Guirao-Hernández)

Original: Psicosis zenital – 1969

Editora: Agência Portuguesa de Revistas

Colecção: Galáxia 2001

Número: 12

Comentário: Um jovem engenheiro vê-se envolvido na guerra entre os terrestres e os rebeldes marcianos.
Cérebros gémeos, telepatia, controlo mental por telefone e muito, muito mais.

Livro onde a lógica e os conhecimentos científicos básicos são olimpicamente ignorados.

Projecto número: trezentos e nove

galaxia18[fc4]

Autor: M. Saavdrovitch (Miguel Sánchez Saavedra)

Original: Proyeto numero trescientos nueve – 1976

Editora: Agência Portuguesa de Revistas

Colecção: Galáxia 2001

Número: 18

Comentário: Nos finais do século XXII os Estados Unidos são uma sociedade avançada, isolada e feliz. Têm viagens quase à velocidade da luz, empregados hominídeos produzidos artificialmente, diversões em realidade virtual e muito mais. Obviamente, há alguns descontentes que preferiam voltar aos bons velhos tempos.

História movimentada mas pouco convincente.

Obs: No início do livro o autor é identificado por um pseudónimo diferente (John A. Lakewood).

Chegou do espaço

galaxia19[fc4]

Autor: Henry Keystone (Enrique Montoro Sagristá)

Original: Llegó del espacio – 1976

Editora: Agência Portuguesa de Revistas

Colecção: Galáxia 2001

Número: 19

Comentário: Um meteorito cai nos Himalaias. No seu interior é encontrado um homem extraterrestre. Entre os seus pertences há um fato indestrutível, um diário e os planos de construção de uma fabulosa nave.

História com muitos improváveis e demasiados impossíveis.

Obs: Péssima tradução, com bastantes expressões num manhoso portunhol.

A voz de Panor

galaxia37[fc4]

Autor: J. Tegman (José González Téllez)

Original: La voz de Panor – 1969

Editora: Agência Portuguesa de Revistas

Colecção: Galáxia 2001

Número: 37

Comentário: Um planeta está em guerra com as suas colónias no espaço. Uma equipa é enviada para descobrir a identidade do chefe dos rebeldes.

Desisti ao fim de meia dúzia de páginas…

Prisão sideral

galaxia16[fc4]

Autor: Walt G. Dovan [Peter Kapra] (Pedro Guirao-Hernández)

Original: Prisión sideral – 1966

Editora: Agência Portuguesa de Revistas

Colecção: Galáxia 2001

Número: 16

Comentário: Condenado injustamente por uma máquina administradora de justiça defeituosa, um homem é enviado para um planeta-prisão perdido no espaço. Desde o primeiro dia tem a ambição de fugir e denunciar o problema. A única dificuldade é que em trinta anos ninguém conseguiu escapar.

Aventura muito movimentada.

Pensa em Phlebas

limit04[fc8]

Autor: Iain M. Banks

Original: Consider Phlebas – 1987

Série: Culture

Editora: Clássica Editora

Colecção: Limites

Número: 4

Comentário: Um mudador é um humanóide capaz de alterar o seu corpo apenas com o poder da mente.
Numa galáxia em guerra, Horza (um mudador) envolve-se num sem fim de aventuras e combates.
Desperta interesse pela descrição das raças e ambientes, mas o resto é apenas regular.

Obs: Os restantes livros da série não foram publicados em Portugal.

O fim de Faena

fimfaena[fc4]

Autor: Aleksandre Kazantsev

Original: 1978

Editora: Raduga

Colecção: Biblioteca de Ciência – Ficção e Aventuras

Número: 9

Comentário: Faena é um planeta à beira do apocalipse nuclear, dividido entre duas potências rivais. Os filhos dos dois líderes apaixonam-se e casam em segredo.

Texto muito básico, mesmo simplório, impregnado de propaganda política.

Chocky – o amigo invisível

chocky[fc8]

Autor: John Wyndham

Original: Chocky – 1968

Editora: Presença

Colecção: Lado B

Número: 10

Comentário: Matthew é uma criança que tem um amigo invisível. Mas Chocky é deveras peculiar.
Wyndham pega numa situação relativamente vulgar e transforma-a numa obra única, que não parece FC.
Uma história óptima para miúdos e graúdos, cheia de mistério, ternura e humor.

A guerra do fogo

guerradofogo[fc8]

Autor: J.-H. Rosny Aîné

Original: La guerre du feu – 1911

Editora: Presença

Colecção: Volta ao mundo

Número: 4

Comentário: Há cem mil anos, uma tribo é derrotada em batalha. Perde não só o fogo mas também alguns dos seus melhores homens.
Três jovens partem numa expedição para obter fogo e salvar a “vida” do seu grupo.
Sucessão de combates (com homens e animais) e descrições demasiado minuciosas da natureza.
Escrito há mais de um século, é natural que a caracterização dos homens primitivos esteja muito longe da realidade.

A. D. 2230

ad2230[fc4]

Autor: Amílcar de Mascarenhas

Original: 1938

Editora: Parceria A. M. Pereira

Comentário: A guerra aproxima-se. De um lado estão os Estados da América do Norte e a Confederação Europeia. Fruto da vitória do movimento feminista, ambas as superpotências são governadas por mulheres. Do outro lado está o Império Português. Governado por gémeos, compensa a inferioridade de recursos com a supremacia tecnológica.

Propaganda óbvia aos valores do regime salazarista, é um livro três em um, congregando habilmente ficção científica, aventura de espiões e romance de cordel.

Como exercício de futurologia, o livro falha em toda a linha.

Apesar de ignorar olimpicamente as leis da física, o autor revela talento narrativo e uma imaginação a roçar o brilhante, sendo o aeroporto de Lisboa (visível na capa) o expoente máximo das projectadas maravilhas do futuro.