A máquina do tempo acidental

Autor: Joe Haldeman

Original: The accidental time machine – 2007

Editora: Europa-América

Colecção: Nébula

Número: 105

Comentário: Um estudante do MIT apercebe-se de que um aparelho construído com outra finalidade permite viajar no tempo. Com saltos para o futuro cada vez maiores, só lhe resta a fuga em frente até encontrar uma época em que exista o conhecimento que lhe permita regressar.
O início, coincidindo com o período da “descoberta”, é do mais engraçado que já li em FC. O resto é uma viagem bem interessante pelos nossos “futuros”.

Obs: Último livro publicado nesta colecção. Alguns termos técnicos mal traduzidos e uma quantidade pouco habitual de erros ortográficos.

Anúncios

Canções da Terra distante

Autor: Arthur C. Clarke

Original: The songs of distant Earth – 1986

Editora: Europa-América

Colecção: Nébula

Número: 20

Comentário: A colónia terrestre num planeta paradisíaco vê a sua existência perturbada pela chegada de uma nave com um milhão de refugiados em hibernação. Foram os últimos a partir e assistiram ao fim da Terra. Para a nave, esta seria apenas uma paragem para reabastecimento num planeta desabitado.
Clarke cria situações e personagens extremamente realistas (tirando a causa do fim da Terra), junta-lhes a dose certa de suspense e ainda levanta importantes questões éticas a respeito da colonização do espaço.

Obs: A nave chama-se Magalhães e o planeta de destino é Sagan dois.

A união dos universos

Autor: Francis Carsac

Original: Ceux de nulle part – 1954

Série: Ligue des mondes humains

Editora: Europa-América

Colecção: Escalas do Futuro

Número: 2

Comentário: Um médico encontra um disco voador acidentado, ajuda a salvar os seus ocupantes (de cor esverdeada!) e é convidado a acompanhá-los no regresso ao seu planeta.
O enredo não é muito original, mas a narrativa é bastante fluente.
Para ser mais realista, os extraterrestes não deveriam ser tão parecidos connosco. Os costumes e os preconceitos são nitidamente humanos e as diferenças físicas são de pormenor.
Também não seria expectável que um terrestre tivesse um papel tão importante na resolução de problemas que há muito tempo afligiam civilizações muito mais avançadas.

Os exploradores da Lua

Autor: Pedro de Sagunto (Pedro Alves de Carvalho)

Original: Os exploradores da Lua – 1968

Editora: Edições Salesianas

Colecção: Leituras Juvenis

Número: 27

Comentário: Em 2090, uma expedição com seis homens procura ser a primeira a explorar a Lua e voltar em segurança.
Vale como livro de aventuras, proporcionando uma leitura agradável.
Escrito já na era espacial, por vezes os conhecimentos do autor parecem do início do século.
Entre outras passagens estranhas, temos os exploradores a usar picaretas e maçaricos para quebrar blocos de gelo quando as temperaturas rondam os 150º
Atirar a conquista da Lua para 2090 foi apenas mais uma “previsão” infeliz.

A ilha dos golfinhos

Autor: Arthur C. Clarke

Original: Dolphin Island – 1963

Editora: Europa-América

Colecção: Europa-América Juvenil

Número: 27

Comentário: 2066. Um jovem foge casa, naufraga, é “miraculosamente” salvo e acaba na ilha onde se situa o principal centro de estudo da comunicação com golfinhos. Mas as aventuras estão apenas no início…
Com a habitual genialidade de Clarke.

Os dentes do inspector + Construtores de continentes

Autor: L. Sprague de Camp

Prefácio: Isaac Asimov

Introdução: L. Sprague de Camp

Original: The continent makers and other tales of the Viagens – 1953 (a editora brasileira dividiu a obra original em dois livros)

Série: Viagens Interplanetárias

Editora: Francisco Alves

Colecção: Mundo Fantástico

Números: 2 e 4

Contos (Os dentes do inspector):

  • Os dentes do inspector (The inspector’s teeth)
  • Traje de Verão (Summer wear)
  • Acabou (Finished)
  • O apito de Galton (The Galton whistle)
  • A fábrica dos biscoitos em feitio de animais (The animal-cracker plot)
  • Vam’bora (Git along!)

Novelas (Construtores de continentes):

  • Moto-contínuo (Perpetual motion)
  • Construtores de continentes (The continent makers)

Comentário: Conjunto de contos e novelas com o mesmo universo como pano de fundo.
A acção situa-se nos séculos XXI e XXII. Após a 3ª Guerra Mundial, o Brasil emergiu como principal potência da Terra e é uma organização internacional controlada pelo governo brasileiro, a “Viagens Interplanetárias”, que gere a exploração espacial e os contactos com extraterrestres.
Histórias com bastante realismo, imaginação e humor.

Obs: Não é engano meu. O autor deu à série o título em português.

Os exilados da Terra + Perdidos na Lua

Autor: André Laurie (Paschal Grousset)

Original: Selène-Company Limited – 1887 (a editora brasileira dividiu a obra original em dois livros)

Editora: Companhia Editora Nacional

Colecção: Terramarear

Números: 59 e 60

Comentário: O primeiro livro relata a instalação de um íman gigante no deserto do Sudão. Quando em funcionamento deveria atrair a Lua até nós para que pudesse ser visitada e explorada com facilidade. O segundo descreve um mês de permanência na Lua.
Enredo com bastante aventura e suspense, contado num estilo muito semelhante ao de Júlio Verne, peca principalmente pelo disparate da ideia que está na base do livro.
A descrição da Lua, sem ser brilhante, merece nota positiva.

Obs: Como facilmente se constata pela capas, não consegui obter dois exemplares da mesma época (tratam-se de edições de 1984 e 1937, respectivamente).

A sonda do tempo

Introdução (livro e contos): Arthur C. Clarke

Organização e Selecção: Arthur C. Clarke

Original: Time probe: the sciences in science fiction – 1966

Editora: Nova Fronteira

Contos:

  • … E ele construiu uma casa torta (… And he built a crooked house) – Robert A. Heinlein [MATEMÁTICA]
  • O wabbler (The wabbler) – Murray Leinster [CIBERNÉTICA]
  • O meteorologista (The weather man) – Theodore L. Thomas [METEOROLOGIA]
  • O negócio de antiguidades (The artifact business) – Robert Silverberg [ARQUEOLOGIA]
  • Vovô (Grandpa) – James H. Schmitz [EXOBIOLOGIA]
  • Não é a última palavra!… (Not final!) – Isaac Asimov [FÍSICA]
  • A maleta preta (The little black bag) – C. M. Kornbluth [MEDICINA]
  • A cegueira (The blindness) – Philip Latham [ASTRONOMIA]
  • Respire fundo (Take a deep breath) – Arthur C. Clarke [FISIOLOGIA]
  • Os oleiros de Firsk (The potters of Firsk) – Jack Vance [QUÍMICA]
  • As experiências do Dr. Hascombe (The Tissue-Culture king) – Julian Huxley [BIOLOGIA]

Comentário: Antologia organizada segundo um critério, no mínimo, original. Cada um dos contos ilustra um aspecto particular de uma ciência.
Apesar do apertado critério e da inclusão de autores desconhecidos, os contos apresentados são muito bons.

A última fome

Autor: John Christopher

Original: The death of grass – 1956

Editora: Europa-América

Colecção: Livros de bolso – Ficção científica

Número: 4

Comentário: Um vírus espalha-se rapidamente e está a destruir todas as culturas de cereais. Escrito há mais de meio século, ainda hoje mostra perfeitamente a fragilidade da nossa civilização.
O melhor livro do autor e um dos melhores do género.

Outras edições: Publicado no Brasil com o título “Chung-li – A agonia do verde”.