Chocky – o amigo invisível

chocky[fc8]

Autor: John Wyndham

Original: Chocky – 1968

Editora: Presença

Colecção: Lado B

Número: 10

Comentário: Matthew é uma criança que tem um amigo invisível. Mas Chocky é deveras peculiar.
Wyndham pega numa situação relativamente vulgar e transforma-a numa obra única, que não parece FC.
Uma história óptima para miúdos e graúdos, cheia de mistério, ternura e humor.

Viagem no tempo

bru05[fc8]

Autor: Ursula K. Le Guin

Original: City of illusions – 1967

Série: Hainish

Editora: Bruguera

Colecção: Ficção Científica

Número: 5

Comentário: Num milénio, o homem passou da era espacial a um conjunto de pequenas comunidades isoladas e quase selvagens. Um homem estranho e sem memória viaja pelo continente americano em busca de respostas sobre a sua origem. O seu objectivo é a cidade onde estão os novos senhores da Terra.

A viagem é cheia de peripécias interessantes, mas o encontro com os invasores não convence muito. Demasiadas mentiras (ilusões) acabam por confundir o leitor.

Obs: A tradução do título não faz sentido. O livro refere comunicações instantâneas e viagens à velocidade da luz, mas não viagens no tempo.

Outras edições: Livros do Brasil * Argonauta # 391 * A cidade das ilusões

Outro espaço – outro tempo

galaxia09[fc4]
Autor: H. J. Campbell

Original: Another space – another time – 1953

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 9

Comentário: Um cientista inventou em segredo uma máquina do tempo que também permite saltar entre universos. Um agente governamental encarregado de fiscalizar descobertas científicas percebe que a descoberta abre a porta da Terra a alienígenas hostis.

História bem contada mas sem pingo de originalidade. Resumindo, é apenas uma luta entre extraterrestres feios, maus e poderosos contra um humano hábil e corajoso. Nem as descrições de ambientes futuristas acrescentam algo de novo.

As estrelas são nossas

galaxia04[fc4]

Autor: H. K. Bulmer (Kenneth Bulmer)

Original: The stars are ours – 1953

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 4

Comentário: Um cientista que inventou uma máquina de ver o passado é assassinado. Um jornalista, ao investigar o crime, descobre que os destinos da humanidade são, há milénios, conduzidos por robots alienígenas. Às dificuldades de convencer as autoridades soma-se o poder dos robots.

Leitura fácil, mas pouco se aproveita. Texto nada original e com tendência a resvalar para o disparate.

A revolta dos humanos

galaxia03[fc4]

Autor: Jonathan Burke

Original: Revolt of the humans – 1955

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 3

Comentário: Invasores chegaram à Terra sob a forma de cristais. Ao entrarem em contacto com seres humanos apoderam-se de corpos e mentes e rapidamente dominam a humanidade. Anos mais tarde, pequenos grupos de humanos livres continuam a resistir e sonham com a expulsão dos invasores.

Serve para ocupar o tempo, mas o comportamento dos invasores (e dos humanos) é demasiado incoerente para parecer real.

Comando de transplantação / O paralelo

galaxia11[fc4]

Autor: Peter Randa / J. Francis McComas

Original: Commando de transplantation – 1961 / Parallel – 1955

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 11

Comentário: Uma nave colonizadora descobre um planeta adequado. Os nativos, embora atrasados, são civilizados. Enviam então um homem para descobrir os costumes locais e preparar a instalação dos companheiros. Tudo corre mal desde o início e o herói vê-se perseguido pela polícia francesa.

No conto “O paralelo” temos uma nave de exploração terrestre tentando estabelecer contacto com os nativos de um planeta distante. A hostilidade dos locais deita por terra os objectivos da missão.

A obra principal, apesar de movimentada, serve apenas para enumerar diferenças sociológicas e tecnológicas entre os visitantes e os terrestres.

O conto é brilhante, mostrando não só as dificuldade de um possível contacto, mas também as diferenças entre os exploradores e ilustra perfeitamente a incapacidade de adaptação de alguns especialistas a circunstâncias invulgares.

Carnaval no cosmos

galaxia07[fc4]
Autor: Maurice Limat

Original: Le Carnaval du cosmos – 1961

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 7

Comentário: Seres muito poderosos querem impedir uma expedição humana ao sistema de Alfa do Centauro. Começam por fazer desaparecer os rostos das mais famosas esculturas do sistema solar. Depois ameaçam um obscuro cientista. Segue-se o ataque aos líderes da expedição…

Nada se aproveita. As acções dos extraterrestres não fazem sentido e os humanos são bastante obtusos. Não consegui ler o suficiente para perceber a referência ao Carnaval.

Os vespões de ouro

galaxia10[fc4]

Autor: Peter Randa

Original: Les frelons d’or – 1960

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 10

Comentário: Um terrestre, uma saturniana e um venusiano aterram num planeta onde encontram vespões muito agressivos, humanos tipo zombies e cidades abandonadas.

O mistério em torno do planeta desperta curiosidade. No entanto, a história tem muitas falhas e nunca se sente que aquilo poderia acontecer.

Crepúsculo da razão

galaxia06[fc4]

Autor: Jonathan Burke

Original: Twilight of reason – 1954

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 6

Comentário: Num isolado centro de lançamento de foguetes, o objectivo de chegar à Lua está prestes a ser concretizado. Uma pandemia com possível origem extraterrestre deixa o mundo num caos e obriga o grupo a tomar decisões muito difíceis.

História bem montada, credível, com suspense suficiente e agradável de ler. Algumas passagens talvez merecessem um maior desenvolvimento.

Os micro-robots de Saturno

microrobots[fc8]

Autor: Alan Comet (Enrique Sánchez Pascual)

Original: Los micro-robots de Saturno – 1955

Editora: Editorial Organizações

Colecção: Robot

Número: 1

Comentário: Quando Saturno ameaça tornar-se inabitável, os seus mais destacados cidadãos são miniaturizados e disparados para a Terra (um planeta que julgam ter apenas vida vegetal).
História sem valor e com pormenores técnicos absolutamente ridículos. A cereja no topo do bolo é o facto de os saturnianos falarem checo.