O fim de Faena

fimfaena[fc4]

Autor: Aleksandre Kazantsev

Original: 1978

Editora: Raduga

Colecção: Biblioteca de Ciência – Ficção e Aventuras

Número: 9

Comentário: Faena é um planeta à beira do apocalipse nuclear, dividido entre duas potências rivais. Os filhos dos dois líderes apaixonam-se e casam em segredo.

Texto muito básico, mesmo simplório, impregnado de propaganda política.

Chocky – o amigo invisível

chocky[fc8]

Autor: John Wyndham

Original: Chocky – 1968

Editora: Presença

Colecção: Lado B

Número: 10

Comentário: Matthew é uma criança que tem um amigo invisível. Mas Chocky é deveras peculiar.
Wyndham pega numa situação relativamente vulgar e transforma-a numa obra única, que não parece FC.
Uma história óptima para miúdos e graúdos, cheia de mistério, ternura e humor.

A guerra do fogo

guerradofogo[fc8]

Autor: J.-H. Rosny Aîné

Original: La guerre du feu – 1911

Editora: Presença

Colecção: Volta ao mundo

Número: 4

Comentário: Há cem mil anos, uma tribo é derrotada em batalha. Perde não só o fogo mas também alguns dos seus melhores homens.
Três jovens partem numa expedição para obter fogo e salvar a “vida” do seu grupo.
Sucessão de combates (com homens e animais) e descrições demasiado minuciosas da natureza.
Escrito há mais de um século, é natural que a caracterização dos homens primitivos esteja muito longe da realidade.

A. D. 2230

ad2230[fc4]

Autor: Amílcar de Mascarenhas

Original: 1938

Editora: Parceria A. M. Pereira

Comentário: A guerra aproxima-se. De um lado estão os Estados da América do Norte e a Confederação Europeia. Fruto da vitória do movimento feminista, ambas as superpotências são governadas por mulheres. Do outro lado está o Império Português. Governado por gémeos, compensa a inferioridade de recursos com a supremacia tecnológica.

Propaganda óbvia aos valores do regime salazarista, é um livro três em um, congregando habilmente ficção científica, aventura de espiões e romance de cordel.

Como exercício de futurologia, o livro falha em toda a linha.

Apesar de ignorar olimpicamente as leis da física, o autor revela talento narrativo e uma imaginação a roçar o brilhante, sendo o aeroporto de Lisboa (visível na capa) o expoente máximo das projectadas maravilhas do futuro.

Viagem no tempo

bru05[fc8]

Autor: Ursula K. Le Guin

Original: City of illusions – 1967

Série: Hainish

Editora: Bruguera

Colecção: Ficção Científica

Número: 5

Comentário: Num milénio, o homem passou da era espacial a um conjunto de pequenas comunidades isoladas e quase selvagens. Um homem estranho e sem memória viaja pelo continente americano em busca de respostas sobre a sua origem. O seu objectivo é a cidade onde estão os novos senhores da Terra.

A viagem é cheia de peripécias interessantes, mas o encontro com os invasores não convence muito. Demasiadas mentiras (ilusões) acabam por confundir o leitor.

Obs: A tradução do título não faz sentido. O livro refere comunicações instantâneas e viagens à velocidade da luz, mas não viagens no tempo.

Outras edições: Livros do Brasil * Argonauta # 391 * A cidade das ilusões

Por outros mundos

limit09[fc8]

Autor: A. A. Attanasio

Original: In other worlds – 1984

Série: Radix Tetrad

Editora: Clássica Editora

Colecção: Limites

Número: 9

Comentário: Um homem é enviado sob a forma de luz para o interior de um “buraco negro cósmico do fim dos tempos”.

Obra pertencente a uma série premiada e largamente aclamada pela crítica, foi para mim uma desilusão.

O abuso da gíria científica até pode dar a impressão de que o autor percebe alguma coisa de ciência mas prejudica uma história que já tinha poucos motivos de interesse.

Outro espaço – outro tempo

galaxia09[fc4]
Autor: H. J. Campbell

Original: Another space – another time – 1953

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 9

Comentário: Um cientista inventou em segredo uma máquina do tempo que também permite saltar entre universos. Um agente governamental encarregado de fiscalizar descobertas científicas percebe que a descoberta abre a porta da Terra a alienígenas hostis.

História bem contada mas sem pingo de originalidade. Resumindo, é apenas uma luta entre extraterrestres feios, maus e poderosos contra um humano hábil e corajoso. Nem as descrições de ambientes futuristas acrescentam algo de novo.

As estrelas são nossas

galaxia04[fc4]

Autor: H. K. Bulmer (Kenneth Bulmer)

Original: The stars are ours – 1953

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 4

Comentário: Um cientista que inventou uma máquina de ver o passado é assassinado. Um jornalista, ao investigar o crime, descobre que os destinos da humanidade são, há milénios, conduzidos por robots alienígenas. Às dificuldades de convencer as autoridades soma-se o poder dos robots.

Leitura fácil, mas pouco se aproveita. Texto nada original e com tendência a resvalar para o disparate.

A revolta dos humanos

galaxia03[fc4]

Autor: Jonathan Burke

Original: Revolt of the humans – 1955

Editora: Rio Gráfica

Colecção: Galáxia

Número: 3

Comentário: Invasores chegaram à Terra sob a forma de cristais. Ao entrarem em contacto com seres humanos apoderam-se de corpos e mentes e rapidamente dominam a humanidade. Anos mais tarde, pequenos grupos de humanos livres continuam a resistir e sonham com a expulsão dos invasores.

Serve para ocupar o tempo, mas o comportamento dos invasores (e dos humanos) é demasiado incoerente para parecer real.